Informativo

O Papel da Mídia, Mineração, Passivos Socioambientais

Jornalista que critica Vale na África não pode entrar no Brasil e fica fora da Cúpula dos Povos Envie para um amigoImprimir

O jornalista Jeremias Vunjanhe, da ONG Justiça Ambiental, de Moçambique, foi impedido de entrar no Brasil pela Polícia Federal, informou o portal do jornal Folha de S.Paulo, na última quinta-feira (14/6). Ele participaria da Cúpula dos Povos, movimento paralelo à Rio+20. Segundo nota divulgada pela organização do evento, não foi explicado ao repórter o motivo de mandá-lo de volta a seu país.

Em Moçambique, Vunjanhe é conhecido por ser crítico à atuação da companhia Vale no país, onde a instalação da mineradora brasileira tem gerado polêmica e conflitos entre o governo e os órgãos de direitos humanos locais. Na Cúpula dos Povos, o jornalista participaria do 3º Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale, além de estar credenciado como observador da sociedade civil na Rio+20.

Na última terça-feira (12/6), ao desembarcar no Brasil o jornalista teve o passaporte recolhido e um carimbo: Impedido da Sistema Nacional de Impedidos e Procurados (Sinpi). Policiais da Polícia Federal, em São Paulo, confirmaram o impedimento e informaram que não serão divulgados os motivos.

Em nota, os organizadores da Cúpula dos Povos disseram que a Embaixada do Brasil, em Moçambique, concedeu visto de entrada no país a Vunjanhe, e no documento não havia qualquer restrição.

Vergonhoso
A Justiça Ambiental informou em nota que utilizará os meios disponíveis para esclarecer a questão e razões por trás deste "vergonhoso acontecimento".

(Portal Imprensa, 15/06/2012)

« Voltar

BuscaBusca

Conheça nossos parceirosParceiros

BuscaTags